O menino velho

UM MENINO VELHO

Muitos golpes nos atingem. Outros não. Quantas pessoas passaram indiferentes diante da notícia no Jornal Estadão do dia 01/09/2016? Foi no dia seguinte. Está em http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,morador-de-pinheiros-vive-25-anos-mais-que-o-de-cidade-tiradentes,10000073357 – Estes acontecimentos dramáticos são passageiros. Por quê? Foi perguntando assim que a releitura de texto de Manuel Rivas provocou este texto:

UM MENINO VELHO

Já estou […]

Arte e eco ternura

Na convivência com o outro vamos tecendo nossa sensibilidade ética e estética. O que é bom e o que é belo vão enchendo de encantamentos os tempos e lugares em que transitamos com nossos sonhos, nossa palavra, nossa expressividade, nossos desejos, nossa autoria, nossa autonomia.  Enquanto parte da humanidade se parte centrada no indivíduo com […]

O rosto, a ternura e os caminhos

 

De onde vem a disposição de contrapor os afetos, em sua fragilidade gratuita, aos ditames poderosos da eficiência mercantil?

Vem do amor que se deixa comandar pelo rosto do outro e que não se sustenta vitorioso nem na experiência e nem nas teorias. O rosto do outro se dispõe, em sua nudez, à violação […]

Amor e arte: uma erótica desinstaladora

O amor vibra desde as entranhas ou será apenas um nome bonito para o consumo dos discursos vazios. Ouvir as vibrações da vida do outro é contagiar-se por sua alegria e seu itinerário buscante.

O amor é atraído e atraente. Ele exerce irresistível sedução sobre a humanidade. Onde há amor, há força atrativa. Onde […]

Lucidez e erótica

Uma sociedade intolerante não se constitui apenas porque o cérebro tornou-se inflexível nas idéias. A intolerância invade os campos da afetividade e desafia os limites do diálogo quando se pretende um esforço apenas racional.

Em geral, entende-se diálogo como fenômeno apenas intelectual. É o diálogo da palavra, do conhecimento, da ciência. Mas esse diálogo é […]

Arte: diante da verdade verdadeira

Verdade, bondade, beleza e harmonia da unidade são referências presentes em tudo o que vivemos, fazemos, cantamos, sonhamos, traçamos, elaboramos, sofremos, buscamos, transformamos.

O que é verdadeiro virou sinônimo do que é exato, do que é comprovável, do que é científico. O que é verdadeiro é aquilo que vira informação para acumular, que cala a […]

Eros e a liberdade solidária

O amor não é da ordem do olhar para aprisionar, mas é do dinamismo da parceria para criar. Eros é princípio de vida que não paralisa mas acontece na irrupção da generosidade mobilizadora. O amor não é domesticável, pois se rebela diante das servidões, vem abolir toda a escravidão e não apenas amenizar as feridas […]

Educação e reduções amesquinhadas

Somos humanos encontrando-nos com irmãos e irmãs nossos na aventura relacional de nos construirmos.

O ser humano vive, pensa, fala, decide, interpreta, concorda e discorda, erra e acerta, canta e modela, profetiza e toca, compõe e desenha, ama e pinta, dança e dramatiza. Assim recriamos a natureza e inventamos a nós mesmos.

Como na Arca […]

Arte, povos e a verdade verdadeira

 

Perguntemos para uma das comunidades presente no Brasil muito antes de os Europeus aqui chegarem.

Para os Guarani M’Byá, os humanos somos chamados a ser verdadeiros porque Nhanderu – Nosso Pai Primeiro Último – nos fez à sua imagem como PALAVRAS-ALMAS VERDADEIRAS.

Assim, o verdadeiro está ligado não ao que é exato, mas àquilo […]

Achadouros do Manuel de Barros

 

Acho que o quintal onde a gente brincou é maior do que a cidade.

A gente só descobre isso depois de grande.

A gente descobre que o tamanho das coisas

há que ser medido pela intimidade que temos com as coisas.

Há de ser como acontece com o amor.

Assim, as pedrinhas do nosso […]